poesia suja

foto_69

Há tanta “descontribuição”por aqui
Tantos pensamentos mofados, contaminados por venenos internos
Tantas frases imprestáveis que nada dizem
e que só abarrotam um monte de letras inúteis e perdidas
Tanto vazio exposto, excessos de “deverias”, de “poderias”que minam
os olhos de quem vê
dando a prova cabal de tantas “irrealizações”
Não dá pra dizer, mas tem que dizer
Aguentem com o desejo de vocês! Por favor
as palavras pingam, extravasam, vão furar o tempo
suportem o amargor da vida com dignidade, eu peço!
saboreiem o fel como se fosse sorvete de chocolate
absorvam o ar putrido e fedorento como se fossem jasmins
forjem pensamentos admiráveis como se ouvissem uma doce melodia
se enganem para o bem
E reconheçam que a maldade que escorre de vossas bocas
podem ser trocadas por flores coloridas
é preciso aceitar, senão elas apodrecem dentro de vocês
causando D E V A S T A Ç Ã O
Já me livrei de tudo isso e não sou melhor por isso
SOFRI
Fui salvo pela realidade
encontrei com ela
falei sobre os mentirosos e hipócritas
sem acordos, eles implicam em submissão
em abandono de si
Podemos apenas perder sem doer, mas não…
o mundo de tão doente já apodreceu verde
nem floresceu ainda e já fede e exala sua decomposição
Ele precisa renascer do buraco negro dos enganos, das procrastinações
Ele precisa de ar puro para se renovar
Ele precisa de menos desculpas mentirosas
e de mais culpas verdadeiras
Choro junto com o mundo podre
Ele já fedeu
E eu?
Estou morrendo asfixiado em venenos que eu não planejei.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s