Poesia do tempo

foto_11

Poesia do tempo

O tempo…

Ele tira o peso dos acontecimentos
Dissipa a importancia dos fatos
Revela  que o aquilo de antes é o nada de agora
E que o nada de agora será apenas o espaço do aquilo de depois.

É o tempo….

Que circula  arrastando consigo lembranças, sensações e cheiros
Que tira das recordações o esforço de esquecê-las deixando apenas seu espaço que antes ocupado, as representaram
Que mostra que o desespero de agora será a experiência vivida de amanhã
Que tira o som alto dos ouvidos colocando apenas ruidos, as vezes indecifráveis.

É o tempo…

Que cura, que acomada e que dissipa dúvidas
Que ensina o que foi bom  lá,  e o que não deve ser repetido aqui
Que  faz deparar com o arrependimento de ter dito coisas que não deveriam ter sido ditas
Que transborda quando excessivo, mas que acalenta quando é compreendido.

É o tempo….

Ao se sentir vazio, o que fazer?
Quando as palavras não brotam, o que dizer?
Quando os olhos não leem, o que contar?
Quando os cheiros não impregnam, o que sentir?
Quando os ouvidos não escutam, o que falar?
Nada…

Mas como saber que o nada é nada?
Se o nada é dito….ele é tudo

Nada é tudo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s